Autores Japoneses confirmados na Bienal

 
 
JAPÃO, PAÍS HOMENAGEADO NA XIX BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO NO RIO
O bosque de letras que chamam de livro…
Ah! Quantas vezes descansei à sua sombra
 
来し方に本と文の林ありて
その下影に幾度いこひし
Poema da Imperatriz Emérita Michiko



A Bienal Internacional do Livro no Rio, maior evento literário da América Latina, abre as portas para receber o Japão neste ano de 2019. Localizado no pavilhão 4, o espaço dedicado à Terra do Sol Nascente apresenta diversas representações da cultura japonesa em forma de expressão artística.
Visitando pela primeira vez o Brasil, a comitiva do Japão é composta por: Kanae Minato, autora considerada pela crítica a rainha dos thrillers; a mangaka (autora de mangá) Reiko Okano; Masami Toku, pesquisadora especialista em mangá; e o cineasta Macoto Tezka, filho de Osamu Tezuka, este considerado o pai dos quadrinhos japoneses.

O Consulado-Geral do Japão no Rio de Janeiro, em parceria com o Instituto Cultural Brasil-Japão e a Fundação Japão, mostra em seu estande um panorama diverso, passeando por tradição e modernidade deste país que, apesar de sua distância geográfica, é tão próximo ao Brasil. A exposição itinerante “O Poder do Shojo Mangá” apresenta reproduções de desenhos produzidos especialmente para mangás japoneses publicados durante os anos 50 e 60. A mostra já participou de mais de 50 eventos, sobretudo na América do Norte e Ásia, buscando difundir a arte do shojo mangá, gênero dedicado ao público feminino. Há também uma área com tatame, para ler os livros e mangás disponíveis para apreciação. E já em clima de contagem regressiva para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020, totens dos mascotes estarão no estande.
Durante todos os dias do evento, o público poderá participar de diversas oficinas culturais e palestras: origami (dobradura de papel), haikai (poema curto), língua, literatura e história japonesas, história dos samurais, cultura pop, anime e muito mais.
Esta realização faz parte do MÊS DO JAPÃO, uma série de eventos culturais sob a tutela do Consulado-Geral do Japão no Rio de Janeiro durante os meses de agosto e setembro.
 
Perfil dos convidados
 

Kanae Minato
 
Nascida em 1973, em Hiroshima, Japão. Em 2005, recebeu Menção Honrosa no 2º Prêmio BS-i para Novos Roteiristas. Em 2007, é premiada no 35º Radio Drama Awards. No mesmo ano, publica Seishokusha, o primeiro capítulo do romance Confissões e recebe o primeiro lugar no 29º Prêmio de Novos Escritores de Suspense. Ainda em 2008, estreia com o romance Confissões, e conquista o primeiro lugar na lista dos 10 Melhores Suspenses da Shukan Bunshun Magazine. Em 2009, é agraciada com o grande prêmio no Bookstore Awards. Em 2012, com a obra Bōkyō, umi no hoshi (Nostalgia: a estrelas do mar, em tradução livre), recebe o prêmio de melhor novela no 65º Prêmio da Associação de Escritores de Suspense do Japão. Em 2014, entra na lista dos 10 melhores suspenses da publicação The Wall Street Journal; em 2015, recebe o Prêmio Alex da Associação Nacional de Bibliotecas dos EUA. em 2016, recebe o 29º prêmio Yamamoto Shugoro por Utopia. Em 2018, sua obra Shokuzai (Expiação) é indicada para o Edgar Award na modalidade original em paperback. Suas obras incluem Shōjo (Garotas), N no tame ni (Por N), Yakō Kanransha (Roda Gigante Noturna), Mirai (Futuro), entre outras.
 
 
Reiko Okano
 
Mangaka (autora de mangá), nasceu na província de Ibaraki, em 1960. Estreou em 1982 com ESTER PLEASE. Possui diversas obras de renome como FANCY DANCE, que lhe rendeu o prêmio de Melhor Obra na Categoria Shojo (mangá para público feminino) no 34º Shogakukan Manga Awards; e Onmyouji (Autor original: Baku Yumemakura/1993), eleito Melhor Mangá no 5º Prêmio Cultural Osamu Tezuka e 37º Seiun Awards na categoria História em Quadrinhos; e Onmyouji – Tamatebako. Suas obras incluem também Yomi henjo yawa, CALLING, INANNA, entre outras. Tem profundo conhecimento em música, desde o gagaku (estilo de música clássica japonesa): produziu o álbum temático do mangá Onmyoji, com participação de Brian Eno e do grupo Reigakusha; também produziu o álbum Kizui (Alegria, em tradução livre), com participação do musicista Sukeyasu Shiba, condecorado com a Ordem de Cultura pelo Imperador Emérito Akihito (Kanehiko Toki, Japan Traditional Cultures Foundation/JVC), entre outras obras. Após o grande terremoto que atingiu o leste do Japão em 11 de março de 2011, tomou parte nas atividades de reconstrução e suporte ao Ogatsu Hoin Kagura, santuário xintoísta localizado em Ogatsu, cidade de Ishinomaki, província de Miyagi. Em 2015, o local já estava completamente recuperado.  Como parte dos projetos em comemoração aos seus 35 anos de carreira enquanto ilustradora, houve a reedição atualizada dos dois volumes de Ryogoku Oshare Rikishi (editora Shogakukan) e, desde 2010, estão a venda os sete volumes que formam Onmyoji – Tamatebako, obra publicada na revista Melody (editora Hakusensha). Em 2019, os nove volumes de FANCY DANCE, obra de grande sucesso que retrata o treinamento de um monge budista, ganhou sua versão em HQ digital. Além de Onmyoji, outras de suas obras têm atingido grande distribuição no mercado digital, tais como site da editora Hakusensha e pela Amazon. Com beleza, a autora transforma em arte visual muitas de suas obras e vem, assim, recebendo elogios.
Site oficial: Ogdoad-najanaja.com │ Teasers, compras em geral e e-books: ogdoad-najanaja.com/blank-2
 
 
Masami Toku
 
Pesquisadora e professora de Artes na Universidade do Estado da Califórnia, Chico (CSUC) desde 1999. É bacharel e mestre em Belas Artes pelo Instituto de Artes de Chicago (SAIC) e doutorado em educação artística pela Universidade de Illinois em Urbana-Champaign (UIUC). Seu interesse de pesquisa é o estudo intercultural dos desenvolvimentos artístico e estético infantil e seus mundos pictóricos e como a cultura popular visual influencia a alfabetização visual infantil. Atua internacionalmente como curadora, educadora, editora, pesquisadora e palestrante. Desde a sua ida à CSU, Chico em 1999, a profa. Toku já publicou mais de cem artigos, resenhas literárias, capítulos de livros, catálogos de exibições e livros em inglês e japonês. Algumas de suas obras atuais são: Visual Culture and Literacy: Art Appreciation from Multicultural Perspectives (Kendall Hunt, 2011 & 2013); Art, Teaching and Learning (Kendall Hunt 2014); e International Perspectives on Shojo and Shojo Manga: The Influence of Girl Culture (Routledge Research in Cultural and Media Studies, 2015). Desde 2005 até agora, a profa. Toku é diretora geral do projeto de exposição itinerante internacional Girls’ Power! Shojo Manga!, tendo palestrado em dezoito países pela Ásia, Europa, Américas do Norte, Central e do Sul. Por suas contribuições internacionais para a sociedade educacional artística, a profa. Toku recebeu em 2008 o Prêmio Internacional Ziegfeld pela USSEA (Sociedade Estadounidense pela Educação através da Arte), agraciado todos os anos a estudiosos de destaque internacional. Ela também recebeu o prêmio de excelência pela CSU-Chico pelo período de 2010-2011. Desde 2009, a profa. Toku vem atuando como diretora executiva da ONG Amamina, uma organização sem fins lucrativos de cultura e educação apoiada pelo comitê educação da cidade de Amami, no Japão. com esta ONG, ela continua a desenvolver uma ponte entre a CSUS e as intituições culturais e educacionais no Japão.
 
 
Macoto Tezka
 
Nascido em 1961, em Tóquio. Visualista. Começou a fazer cinema no Ensino Médio, sendo premiado em diversos concursos, tais como o PIA Film Festival. Desde então, dirige filmes e programas de TV, participa em eventos e produz CD’s e softwares, envolvendo-se em atividades criativas de forma geral. Em 1985 faz sua estreia como diretor de cinema comercial com o filme Stardust Brothers (Hoshikuzu kyôdai no densetsu). Em 1995, produz o software para PC TEO – The Other Earth (TEO ~ Mou Hitotsu no Chikyû), da Fujitsu, obra que vendeu 500 mil cópias em 19 países. Em 1999, participa do Festival Internacional de Cinema de Veneza com o filme O Idiota, e recebe o prémio Digital Awards. Em 2011, torna-se mestre de cerimônias na abertura dos Jogos da Ásia Oriental, em Osaka. Com o anime BLACK JACK, em 2006, recebe o Tokyo Anime Awards na categoria Melhor Obra para TV. De 2003 a 2009, supervisiona a obra PLUTO, mangá de Naoki Urasawa. Atualmente, está envolvido na supervisão de ATOMU, The Beginning, mangá de Tetsuro Kasahara. Além disso, enquanto herdeiro de Osamu Tezuka, é produtor do Museu Osamu Tezuka na cidade de Takarazuka e da Exposição Osamu Tezuka no Museu Edo-Tokyo, e também escreveu o livro Chichi – Tezuka Osamu no Sugao (Meu pai: a verdadeira face de Osamu Tezuka, em tradução livre), pela editora Shinchosha. Barubora (Barbara), seu novo filme produzido pela Tezuka Productions, tem lançamento previsto em outono de 2019.
NEONTETRA: neontetra.co.jp │ Tezuka Production: tezuka.co.jp
 
Workshops e palestras
  
Origami – Dobradura de Papel
Apresenta a técnica milenar de dobrar papel, que se popularizou durante o século XVIII. Hoje, o origami é uma das mais populares expressões artísticas japonesas.
 
Língua japonesa
Cumprimentos básicos e auto-apresentação, além da introdução à forma de escrita, constituída por silabários (hiragana e katakana) e ideogramas, os chamados kanji.
 
Haikai & Haiku – Poema curto
Principais características deste estilo literário e oficina prática para produção de seu próprio poema. Abordagem dos principais poetas japoneses, como o mestre Matsuo Bashô e de alguns representantes brasileiros.
 
Literatura
Apresentação de alguns dos autores expoentes da literatura japonesa, suas características, história, produções e importância. Dentre eles incluem-se: Natsume Sôseki, Ogai Mori, Akutagawa, Tanizaki e outros.
 
História
Breves palestras sobre história japonesa, com objetivo de conhecer alguns pontos essenciais do passado. História antiga, período feudal, Japão moderno e contemporâneo serão abordados nestes encontros.
 
Samurais
Conheceremos os principais samurais da história japonesa e como influenciaram as épocas em que viveram. Alguns temas: estilos de combate, espada e arco e flecha e nascimento do Bushidô, a filosofia do guerreiro.
 
Imigração
Estudo introdutório sobre o processo migratório dos japoneses pelo mundo e principalmente sua vinda ao Brasil.
 
Cultura Pop
Conheça mais sobre a cultura pop, e seu papel de divulgação da vida e história japonesa no Brasil.
 
Moda Tradicional
Estudos sobre moda japonesa antiga, desde a chegada do quimono e sua presença na corte, até os estilos estéticos de estamparias japonesas do passado.
 
Confissões, de Kanae Minato
Roda de conversa sobre a obra Confissões, da autora Kanae Minato, participante da Bienal do Livro no Rio neste ano. Este best-seller vendeu mais de três milhões de exemplares somente no Japão, com uma história de vingança, drama e violência.
 
Anime & Mangá
Pequenas palestras sobre as animações japonesas, debatendo conceitos, história, influências e suas formas de produção. Algunas obras em destaque serão: Akira, de Katsuhiro Otomo, Astroboy, de Osamu Tezuka e Full Metal Alchemist, de Hiromu Arakawa.
 
Kami-shibai – Teatro de Papel
Forma de contar histórias originada no século XII, em templos budistas. Seu formato atual tornou-se popular nos anos 1930. O contador de histórias utiliza desenhos em um miniteatro como se fossem cenas de um filme, e assim transmite ensinamentos valiosos.